Software livre precisa ser grátis?

Seja no seu Windows, macOS, Linux, iOs, Android ou qualquer outro sistema operacional, seu computador possui softwares instalados. Até para ler esta publicação você estará usando um software.

Usar software é algo tão automático que quase nunca pensamos em como obtemos esses aplicativos. Podemos baixa-los de uma loja ou, dependendo dos seus usos, baixamos algum executável e instalamos manualmente. Em outros cenários, você precisa pagar para fazer o upload, como o Final Cut Pro X, ou mesmo uma mensalidade, como é o caso do Photoshop.

Como você baixa, instala e utiliza um app é determinado por sua licença de uso. Aqui um software pode ser proprietário, em que você não pode modificá-lo ou open source, em que você pode modificar e usar como quiser.

Open source e código livre são sinônimos e, acredite, existem muitos deles bem populares. Então isso acaba com o mito de que somente pessoas desenvolvedoras os utilizam. Exemplos de softwares livres são: o Linux e servidores como o Apache.

O que, antes, era muito combatido pelas empresas grandes do Vale do Silício hoje é abraçado por grandes empresas como a Microsoft.

Open Source não quer dizer gratuito

O conceito mais básico de Open Source é que todo o código que você produz precisa ser publicado em algum lugar para que outras pessoas possam analisar, reutilizar e sugerir melhorias, mas não há a obrigação de que a utilização desse software seja gratuita.

O que acontece é que como esses softwares estão abertos para o mundo, as pessoas que os desenvolvem preferem não cobrar por seu uso e lucrar com doações ou fornecendo consultorias para instalação e melhorias.

Quando desenvolvemos um site na Argonaut para um cliente, utilizamos algumas ferramentas open source e suas licenças permitem que seja usadas para esse fim, mas alguns softwares não permitem sua utilização comercial, apesar de serem de código aberto.

Não que exista uma polícia do software livre, mas legalmente, é possível tomar medidas para quem quebra os termos de uma licença, seja ela aberta ou não.

Polêmicas do software livre

Apesar de parecer tudo muito simples, existem polêmicas que envolvem a comunidade de software livre. Afinal, você não sabe quais pessoas, empresas ou órgãos governamentais utilizarão o código que você produziu por melhores que sejam suas intenções.

Um bom exemplo disso foi o que aconteceu nos Estados Unidos, quando um desenvolvedor descobriu que o código produzido por ele estava sendo utilizado pelo US Immigration and Customs Enforcement, agência federal estadunidense que atua prendendo e deportando imigrantes ilegais, ele então apagou todo o código disponível online.

Entretanto a resolução não foi efetiva. Uma vez que, por estar online, muitas pessoas possuiam cópias do código o que fez com que logo fosse restaurado. Embora pouco eficiente, a situação ,levantou vários pontos de discussão sobre o uso do software livre.

Por ora, nada muda, mas já existem licenças disponíveis para quem não quer que seu código seja utilizado para fins não humanitários.